Memória e cultura

 

A importância de conservar um objeto, construção ou documento como parte de um patrimônio está no fato deste se constituir registro material dos saberes, técnicas e instrumentos, forma de pensar e sentir de uma comunidade em determinada época e lugar.

É no simbolismo inserido nesses bens materiais que se revela a cultura e os verdadeiros valores das sociedades humanas. Nesse contexto, os centros de memória são locais que preservam as histórias de um povo, não se constituindo apenas em exposições, mas também espaços de produção de conhecimento.

O Centro de Memória do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia tem o compromisso de propor reflexões sobre a história das eleições no Brasil por meio dos diversos testemunhos que abriga no seu acervo, seja atas, ofícios, anotações, edições, publicações, objetos, fotografias ou o próprio edifício-sede, atribuindo significado a cada um deles de forma a conferir-lhes valor documental e representacional, constituindo-se em espaço de cidadania.

O Projeto Memória do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia foi idealizado pela equipe da Coordenadoria de Jurisprudência e Documentação em 1998, tendo por objetivo resgatar a história da Justiça Eleitoral na Bahia por meio de ações que revelassem à sociedade baiana a contribuição do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia para o processo democrático.

Sua existência e atuação seguem o direcionamento existente no regulamento da Secretaria do Tribunal que determina a competência do Centro de Memória para desenvolver as atividades de preservação do patrimônio histórico institucional, material e imaterial, bem como a divulgação do acervo mediante visitação pública, exposições temporárias e outros meios.

Ao longo do tempo, cuidadosamente, foi-se reunindo documentos e peças que aos poucos se transformam em uma interessante coleção com mais de 2000 itens de inestimável valor histórico e cultural, representativas de várias épocas, que evidenciam não só a preservação do patrimônio, mas principalmente o fortalecimento da identidade institucional. Recentemente a coleção recebeu os cuidados técnicos exigidos de higienização, imunização e restauração.

Desde a criação do Projeto, montou-se exposições de curta duração acompanhando calendário comemorativo nacional e propostas do Instituto Brasileiro de Museus como “75 Anos do Voto Feminino” (2007), Exposição de Livros Raros (2007), “Mostra Pequenos Colecionadores” (2008),  “Mostra Lembranças do Mundo” (2009), “21 Anos da Constituição Cidadã” (2008), “Exposição 21 Anos de Eleições Diretas” (2010), Mostra de Selos (2011). Da mesma forma, desenvolveu-se ações educativas e culturais, elaborou-se projetos para captação de acervo e recursos, promoveu-se a  divulgação da história da Justiça Eleitoral por meio de publicações como o livro Memória (1998) e o Anedotário (2008) e dinamizou-se seus espaços e a relação com o público.

Assim, para promover um minucioso trabalho de resgate, organização e preservação de testemunhos materiais desta trajetória e alcançar os objetivos propostos, o Projeto vem desenvolvendo uma metodologia que a partir da organização e disponibilização das informações colhidas em seu acervo tem a premissa de valorizar o maior patrimônio da Justiça Eleitoral: sua história.

Em exposição permanente no foyer do prédio principal, revela, a todos os que o visitam, uma parte significativa da história do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. É constituído por:

  • Galeria de fotos (tamanho 60 x 49 cm) que registra a passagem dos Presidentes no período de 1932 a 1998.
  • Reconstituição do antigo Gabinete da Presidência do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia, com mobiliário utilizado a partir da sua reinstalação em 1945.
  • Exposição de peças antigas, documentos impressos, manuscritos e publicações referentes à história do Órgão.