EJE-BA realiza ação voltada aos jovens custodiados da Case/Salvador

Atividade estimula a participação dos custodiados nas Eleições Gerais 2018; seção eleitoral será montada no local

TRE-BA evento EJE no CASE

No último sábado (22/9), a Escola Judiciária Eleitoral da Bahia (EJE-BA), em parceria com a Fundação da Criança e do Adolescente (Fundac), promoveu atividade voltada para os jovens internos em regime de custódia na Comunidade de Atendimento Socioeducativo (CASE), no bairro de Tancredo Neves, com o objetivo de efetivar o reconhecimento do adolescente como sujeito de direitos para o exercício da sua cidadania.  A ação – além de possibilitar a simulação da votação – discutiu a importância da democracia e do voto consciente.

Cerca de trinta adolescentes que votarão pela primeira vez este ano, e estão cumprindo medidas socioeducativas, participaram atentamente da explanação ministrada por Adriana Passos, servidora da EJE, além de oficina em que tiveram a oportunidade de simular uma campanha eleitoral ao cargo de governador da Bahia. Um dos candidatos defendeu a educação como a base de tudo, ferramenta capaz de combater a criminalidade e dar aos jovens novas perspectivas de um futuro melhor. Na oportunidade, os jovens puderam utilizar urna igual àquelas que serão usadas no pleito do próximo dia 7 de outubro.

Entre os desafios, os adolescentes precisam ressignificar a condição de custodiados e atuar para mudar as estatísticas no Brasil, pois de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), embora o número geral de votantes tenha crescido 3,14% de 2014 para cá, o número de jovens eleitores diminuiu 14,53%.

Conforme a servidora Adriana Passos, uma das missões da EJE-BA é justamente fomentar a participação da juventude nas eleições, principalmente na faixa etária dos 16-17 anos, quando o voto é facultativo. “Vemos os jovens descrentes em razão da crise política e econômica que estamos vivendo. Eles ouvem em casa o discurso pessimista dos familiares acerca dos representantes políticos, e não há interesse em participar da vida política do país. Isso precisa ser mudado urgentemente!”.

Diante do cenário desfavorável, a proposta da EJE-BA é estimular o engajamento consciente, explicou a servidora. “Que significa conhecer o histórico dos candidatos e avaliar suas propostas sem radicalismos. Respeitar a opinião dos outros e aprender a argumentar, pois estamos assistindo a uma polarização política que tem levado a discursos de ódio. É preciso passar para os jovens a necessidade de ter um olhar criterioso sobre a temática”, observa.

Carla Rodrigues, Coordenadora jurídica da FUNDAC, que acompanhou a atividade, falou sobre a importância da ação realizada: “Entendemos  que trazer o Projeto Eleitor do Futuro para os educandos representa garantia de direitos, representa garantia de conscientização acerca do exercício de cidadania e democracia”.

Informação

A EJE-BA disponibilizou revistas educativas, que serão distribuídas também em outras unidades de Atendimento Socioeducativo da FUNDAC, a fim de informar sobre os cargos eletivos, democracia e cidadania.

Os jovens custodiados em regime fechado têm acesso à televisão e ao rádio e poderão assistir aos debates – inclusive as gravações dos que já foram exibidos – e ao horário eleitoral, além da leitura de jornal impresso, mas não têm acesso à internet.

No dia 7 de outubro, votarão mais de 100 educandos em seção eleitoral a ser montada pelo Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) na unidade da Case, no bairro de Tancredo Neves; dentre estes, a maioria votará pela primeira vez. 

CB

Últimas notícias postadas

Recentes