TRE-BA divulga jingle para incentivar o recadastramento biométrico

Música foi doada ao Eleitoral baiano, por meio da 132ª Zona Eleitoral (Conceição do Coité), pelo cantor, compositor e sanfoneiro, Duguinho do Acordeon

TRE-BA Duguinho e servidores de Conceição do Coité

Com o objetivo de estimular eleitores de 242 cidades baianas a realizarem o recadastramento biométrico, o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), lançou – nesta quinta-feira (5/12) – o novo jingle da biometria. A música – doada ao Eleitoral pelo cantor, compositor e sanfoneiro, Duguinho do Acordeon – chama a atenção para a importância do procedimento e para os prejuízos oriundos do cancelamento do título.   

Ouça o novo jingle

A música é fruto de uma ação realizada pela 132ª Zona Eleitoral, sediada no município de Conceição do Coité. De acordo com a servidora Adriana Velame Branco, chefe do cartório eleitoral, “a zona estava com baixos índices de comparecimento dos eleitores e, por isso, decidimos fazer reuniões com líderes comunitários, imprensa, gestores de povoados e etc. O intuito era buscar parcerias para a divulgação do processo de recadastramento biométrico. Foi quando, em uma dessas reuniões, uma colaboradora do Povoado de Bandiacu, Marli, nos disse que iria procurar pelo Duguinho para que ele fizesse uma música para nós”.

Adriana conta que “logo de cara” gostou da ideia e do jingle. “quando ela me mandou para aprovação, eu fiquei muito animada com o ritmo e letra. Depois de alguns dias, recebi a gravação final – feita com outros músicos em estúdio – e achei ainda mais legal. Duguinho é bastante popular em Conceição do Coité e muito carismático. O jingle é um sucesso. Até eu só consegui gravar o número do 0800 depois da música”.  

Sobre o jingle

De acordo com o músico Duguinho do Acordeon, de 33 anos, o jingle é uma parceria “com um amigo, Gabriel Lima, daqui de Conceição do Coité”. O compositor contou que não hesitou diante do pedido da amiga. “Quando a Marli me pediu para fazer o jingle, ela trouxe dados que mostravam que muitos eleitores ainda precisavam fazer o cadastramento biométrico. A ideia dela era tentar explicar melhor para as pessoas a importância de fazer a biometria. Topei na hora”, disse.

Duguinho disse que se sentiu estimulado para compor o jingle ao saber da série de prejuízos gerados pelo cancelamento do título, “muita gente não sabe as várias consequências que se pode ter por não fazer um simples cadastro biométrico. Tem gente que acha que é besteira, mas além de ficar sem votar, acaba tendo outros problemas, como diz a música. Eu mesmo não sabia e só soube depois que comecei a trabalhar para desenvolver a canção”, afirmou.

Nesse sentido, Duguinho disse que contribuir com a Justiça Eleitoral foi um modo que encontrou para ajudar o próximo. “O que a gente puder fazer para ajudar, a gente tem que estar sempre fazendo, da maneira que pudermos. Acho que no país que a gente vive hoje, as pessoas precisam se empenhar em ajudar ao próximo. Penso que, se cada um fizer um pouco, a chance de a gente sair de uma situação ruim é muito mais alta”.

Sobre o recadastramento biométrico

Atualmente, 242 cidades baianas estão em fase obrigatória do recadastramento biométrico. O prazo para realização do procedimento é 18 de fevereiro de 2020. Conforme o Código Eleitoral, o cancelamento do título implica ainda em uma série de prejuízos, tais como: impossibilidade de obtenção de empréstimos em instituições públicas, dificuldade para tirar ou renovar o passaporte, não tomar posse em cargo / concurso público, ser impedido de renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo, entre outros.

Últimas notícias postadas

Recentes